quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Mas eu não entendo

Ah, bom, tem só umas 897 mil coisas que eu não entendo sobre a humanidade. Que alguém passe fome, por exemplo. Que crianças sejam obrigadas a sofrer com a guerra. E que, diabos, alguém que usa calça saruel se ache com razão pra criticar o meu crocs. Mas, dentre as coisas que eu não entendo, discutamos só duas hoje:

- Homem após homem, mulher após mulher
Não é sobre a insensata divisão heteros e homos. Bom, até é, que os heteros têm umas ideias... O que eu não entendo é, ainda hoje, o Dono da Casa ouvir algo como "vocês vão ter um terceiro filho? Cê não gostaria de tentar um menino?". Deixa ver: o pessoal acha que homem quer ter filho homem pra ter onde depositar a perpetuação de sua espécie, é isso? E que as mães querem ter meninas pra poder repassar toda sua feminilidade pra outra geração? Que coisa mais esquisita. Eu não sei por que o Dono da Casa sequer viria a cogitar isso. Vieram duas meninas pra nós - e, depois disso, ele é comemorado, endeusado, acarinhado e abalroado e agarrado todos os dias assim que põe o primeiro pé em casa. Por duas meninas que simplesmente o adoram e topam todas as paradas dele (como jogar bola, jogar freesbee, caçar tatu-bola, pegar fruta no pé ou qualquer barbaridade).  Quem disse que um moleque faria melhor ou mesmo diferente? Coisa mais ininteligível.

- Essa coisa de pirar com namoricos e a posse
Se tiver uma explicação científica, é essa que eu quero. Porque a do "mas eu aaaaamo ele(a)" não reconheço. Eu sei que é difícil só gostar de quem gosta da gente. Eu sei que tem gente sensacional demais pra não ser amada e desejada. Mas daí a pessoa não quer nossa companhia, não aceita nossos gracejos e abraços e beijinhos e carinho sem ter fim, e não quer  passear de mãos dadas com a gente e fica brava quando descobre que a gente fuçou no celular dela e que ligou pra ela e desligou aquelas 87 vezes no fim de semana e não achou graça de nos achar escondidos debaixo de sua cama e... acabou, né? Segue o jogo, por favor. Bota a pessoa no arquivo da mente e começa a olhar em volta, porque provavelmente está-se deixando passar muita gente boa. E chorar no cantinho é válido por algumas semanas ou até uns meses. Depois para, que isso vai ser tão válido e eficiente na sua vida quanto o uso de aparelhos de ginástica da Polishop.

E se você não me entender, eu tento explicar de novo. O que nunca se explica.

4 comentários:

mihuda disse...

Falou tudo Flá, porque o marido/pai ficaria sonhando com algo que não tem se tem coisas maravilhosas acontecendo em casa? As pessoas tem umas ideias de jerico, parece que nunca está satisfeita com o que tem, simplesmente porque os outros tem outras coisas. Boring! E sério, outro assunto mais inexplicável que qualquer coisa. Mas uma coisa que o namorado sempre me fala é: se tem alguém que é "abusado", tem um "abusador", coisa de panela e tampa? Não que seja saudável, né?!

Nanael Soubaim disse...

A explicação mais plausível, é que nossa mentalidade estacionou na idade média, quando gente como eu era queimada por heresia.

Sócia da Light disse...

N., é um fato.

Paulinha disse...

Como explicar coisa complicada??? rs
Desde que o mundo é mundo as coisas são complicadas e sem explicação rs