quinta-feira, 21 de outubro de 2010

No pé da minha orelha, não!

Dentre todos os "eu nunca" que posso dizer sobre mim, jamais ter furado as orelhas parece ser o que mais espanta as pessoas. Ninguém se mexe muito com os meus "eu nunca usei chinelo de dedo" ou "eu nunca gostei do carnaval", mas todo mundo deixa o queixo despencar quando digo que nunca abri buraquinhos nos lóbulos auriculares. O que eu acho espantoso.

É que, num chute rápido, eu diria que 95% das mulheres brasileiras têm orelhas furadas. E, vai ver, um bom quinto dos homens também. Mas não eu. Quando pequena, meu pai vetou a carnificina: não deixou que furassem minhas orelhas porque achava que isso ia dar problema. E porque era "uma coisa meio indígena". (Nem perguntem, o meu pai é um homem... peculiar).

Bom, o fato é que eu cresci e também passei a repudiar um bocadinho essa prática. Não via MESMO vantagem em ir na farmácia levar um tiro de revólver tão perto da cabeça por vontade própria. Tinha medo da dor e, como minha vaidade sempre operou em níveis negativos, fui deixando assim. Minha irmã, também proibida na infância, sucumbiu aos brincos depois dos 18. Minha mãe, rebelada, passou por cima do cadáver do meu pai (moralmente) e apoiou. Eu fiquei no grupo de suporte técnico - já que a minha irmã desmaiou e a gente precisou abanar muito ela.

Daí, né, que a gente tem essa mania de passar os próprios conceitos (pra não dizer os preconceitos) aos filhos. Minhas meninas nem sabem o que é ter orelha furada. Só de pensar em entregar aquela carninha miúda e molinha nas mãos de um vândalo perfurador, me apavoro. Não deixei e vou relutar até que elas tenham idade pra optar com propriedade sobre isso. Lá pelos 35, tá bom?

Tenho medo que a coisa saia do controle e saia errada. Tenho medo de infecções, vermelhidão, pus, sangue, cirurgia de reconstrução. Tenho medo que elas comecem a aparecer em casa com verdadeiros candelabros dependurados nas orelhas. Enfim, não acho isso boa ideia. Só que muita gente estranha essa postura.

Mas eu me pergunto: então o normal é pegar um bebezico de nada e lhe meter rebites nas orelhas? Mesmo com a possibilidade de a peça ser arracada acidentalmente; ou de haver rejeição? Mães já vieram até me dar seus motivos: "mas se não fura, ficam perguntando se ela é menino!". Uau, que motivão, hein? No caso de termos um menino, então, melhor espirrar um pouco de cerveja nele, pro odor mostrar que é macho?

Podem dizer que é bonitinho, charmosinho, cute-cute e o escambau. Nas minhas orelhas e nas orelhinhas dos meus nenês, ninguém toca. Não tem ouro, prata, diamante ou adereço no mundo que me convença. As duas pequenas podem até trair o movimento depois, mas eu seguirei firme. "Eu nunca furarei as orelhas", digo com orgulho. Apesar de ainda me auto-chocar muito mais com "eu nunca gostei do carnaval"...


Não venham se pendurar em mim, ok?

25 comentários:

Monique disse...

Não tenho orelha furada. Tentei duas vezes. Não deu certo em nenhuma. Inflamou e tal. Estou viva e mais ou menos me relaciono bem com a sociedade. =D

Dri_ disse...

Ó, eu as tenho furadas e adoro um brinquinho (inho mesmo, me recuso a usar dos grandes).

Maaassss, quando pequena (5 anos), me levaram ao Pronto Socorro, porque minha orelha foi inflamando, inflamando, inflamando... até virar caso de Pronto Socorrro!!! E minha mãe insistia em me ver de brinco!

Na adolescência parei geral e só voltei a usá-los depoisde ter a Carteira de Trabalho assinada, porque posso bancar os "de ouro".

Resumindo: apoio geral sua decisão!

Nanael Soubaim disse...

Seguinte, há regras rígidas formuladas para a perfuração de orelhas, não é qualquer drogaria que tem autorização inclusa no alvará sanitário para tanto. Em Goiânia, pelo menos, foi comum apreendermos o maquinário e interditarmos as salas afins até o povo aprender que as regras de higiene e egurança devem ser cumpridas, não para alisar o ego da Vigilância, mas para o bem do cidadão. Em São Paulo eu não sei, no resto do país corre solto.

Existem brincos de pressão para isso mesmo. E o que o povo tem a ver se é "menina ou menino"?

Eliane disse...

Oi Flá!
Concordo com vc. Deixe que elas decidam depois.
Minha mãe me levou para furar as orelhas. Mais tarde, qdo eu tinha 15 anos, quis fazer mais um em cada. E minha mãe não deixou!! Pois eu disse a ela: "Vc não me perguntou se eu queria que furasse minhas orelhas... Foi lá e furou! Agora que eu quero, vc não deixa!" O argumento era que eu iria "parecer uma árvore de Natal". Mas furei qdo fiz 18 anos! E depois, aos 20 fiz um pircing na orelha esquerda (contra a vontade da minha mãe tbm! rsrs). Adoro tds os meus "furos". rsrs...

Eliane disse...

Ha! E eu tbm nunca gostei de carnaval!
Bjs!!

Beolina disse...

Eu acho legal isso de deixar a pequena decidir depois de grande se quer ou não furar as orelhas. Quero fazer isso quando tiver as minhas, mas penso que se depender da influência em casa elas optarão por levar tiros logo comecem a falar, já que eu tenho três furos de cada lado e o pai tem um brinco numa orelha, um piercing na outra e outro piercing no nariz. Ou seja.

Mas, sobre o espanto sobre os seus "eu nunca", o que mais me espantou foi mesmo o de nunca ter usado chinelo de dedo! Em casa você fica de meias? Pantufas? Tênis? Flá, você é personagem de novela que tá sempre arrumada dentro de casa?? =D

A Sócia da Light disse...

Hahaha! Sou assim mesmo, Beolina, como a Maitê Proença em "Pegassione"! Que nada, viu... Mas olha, eu uso tudo isso aí que você mencionou e mais uma opção: Crocs! Pode chamar de breguice, eu chamo de conforto. ;-]

Gostei de ver o tanto de depoimentos "minha orelha também sofreu lesões"! Reforçaram as minhas crenças, hein, meninas? ;-]

Mas é isso: se um dia as meninas quiserem, elas fazem. Eu, a tatuada, é que não poderia dizer "não" pras aventuras auto-decorativas de ninguém. Quem sabe um dia eu mesma não furo as orelhas... Talvez depois de duas garrafas de gim, uns comprimidos tarja-preta e sob a mira de uma bazuca. :-D

Paula Baltazar disse...

Meu pai também não deixou que furassem as minhas orelhas quando eu era criança. E eu faria o mesmo se tivesse filhos.

Furei quando estava mais velha, porque adoro um brinquinho (como disse a Dri)mesmo assim não uso sempre.

Ah, foi quando furei as orelhas que descobri que, além de achar muito feio, também sou alérgica a ouro amarelo. :-p

Clá disse...

eu tenho vários furos na oreha...4 em uma e 2 na outra, os primeiros sao os basicos,feitos ainda no hospital...o 3º foi feito aos 9 anos,me achei o maximo, era a unica criança da escola com 2 furos...agora os outros 3, fiz entre os 15 e os 18. ate hoje eu nao compreendo como consegui fazer...quase morri de dor,só de pensar me da arrepios, mas nao me arrependo :)

Shayenne disse...

Hahaha...Ri aqui com "uma coisa meio indígena" e espirrar cerveja, pro odor mostrar que é macho! =D

Como a maioria das meninas aqui, não acho que furaria a orelha de uma filha...A pena que deve dar, ver aquela coisa toda fofa tendo a orelha perfurada só pra ficar "bonitinha"...Fala sério!


Concordo com a Beolina: me causa muito mais espanto você nunca ter usado chinelo de dedo.

E eu também nunca gostei de carnaval. =)

mihuda disse...

Sou a favor dos rebites, mas em mim. Sabe, provavelmente farei como você e pouparei minhas crias de enfrentar perfurações desnecessárias. Apesar de ter furinhos nos lóbulos e ter no nariz uma argola "indigena" - feita após os 18 - sou adepta da acupuntura, corporal e auricular, e segundo o mapa das agulhas chinesas o ponto no qual costumamos furar orelinhas recem-nascidas é o dos olhos... Sei o quanto acupuntura me faz bem, tem me mantido distante de crises de rinite há bons meses e acredito em seu poder. Assim a ideia de zuar eternamente os olinhos dos meus bebês que não nasceram me aterroriza. Tô do teu lado! ;)

Denise disse...

Meu filhote é do sexo masculino e esses questionamentos não chegam às orelhas dele. Mas se por acaso ele fosse ela, não tenho dúvida, não furaria suas orelhas. Eu mesma já carreguei 4 brincos de cada lado, hoje não tenho nenhum. Então, não é por medo que não furaria as orelhas da minha cria, mas por respeito. Respeito a sua integridade física. É um direito de cada pessoa escolher se quer ou não ter uma parte do seu corpo perfurada, não?

Dri_ disse...

Sabe que eu acho que a grande maioria das mães nem questiona muito isso? Fura automaticamente.

Anônimo disse...

Eu tenho orelhas furadas mas odeio. Tenho que usar brincos (pequenos) porque fica feio os furinhos sem nada. Gostaria que tivessem me perguntado se eu queria, mas como ainda era bebê... Enfim, hoje estou grávida e já avisei a todos: se for menina nem venham perguntar sobre os brincos, pois não vou furar a orelhinha dela mesmo!!!Quando ela crescer, que decida. (Espero que não seja daquelas que adoram candelabros nas orelhas). Ah e tambem odeio Carnaval - mas adoro chinelos de dedo!

A Sócia da Light disse...

Tô com a Dri, acho que a maioria fura sem nem pensar a respeito, só porque "é assim que a vida é". E porque menina "tem que ter brinco".

Mas de fato, é uma sacanagem fazer algo (semi) permanente nas pequeninas só por uma convenção idiota.

E parem de estranhar meu horror ao chinelo de dedo, sim? Não tenho culpa se aquela coisa machuca a pele, provoca acidentes e mostra dedos demais.

:-D

Ana Lu disse...

Ei Flávia
=]
Tenho que confessar que me assustei foi com o fato de vc nunca ter usado um chinelo de dedo, porque muita gente não gosta de carnaval, hahaha. Eu sai da maternidade de orelhas furadas. Hoje não tenho muita paciência para colocar brincos, mas o furo ta ali e as vezes eu coloco. Acho lindinho brinco, e furaria as orelhinhas das minhas futuras filhas sim, mas não acho 'assustadora' a sua postura, hahaha.
Beijos

Kiyomi, a.k.a. Piggy disse...

Oi, Flávia!
Bem, eu tenho as orelhas furadas, mas acabei fazendo aos 18 anos... Atualmente, por questão de preguiça mesmo, raramente uso. Sobre os fatos de voce nunca ter furado a orelha, nem usado havaianas e nao gostar de Carnaval, entendo perfeitamente sua postura...
Beijos!

Dri_ disse...

Voltei pra lembrar do cúmulo da nojeira e breguice: aquela linha que colocam na orelha, acho que pra quando a coitadinha da orelha não suporta o brinco, aí lançam mão dessa linha pra ela não fechar...

Nojo! Feiúra!

Cristiane disse...

Eu tenho as orelhas furadas desde bebê, mas nem ligo para os brincos. Tem alergia a bijuteria e então uso o mesmo par de brincos há 20 anos! E falando nessas convenções sociais idiotas, olha a que eu ouvi de uma vizinha fofoqueira: Uma outra vizinha fofoqueira, sem noção e daltônica viu o Pedro de macacão VERMELHO e saiu falando pela rua que eu estava vestindo o meu filho de Pink(!) e usando roupas que foram minhas nele (!!) e que assim não dava pra saber se ele era menino ou menina (!!!). Cada vez tenho menos fé na humanidade!

A Sócia da Light disse...

Ai, Cris, é de matar, hein? Não sei o que é pior, a babaquice de achar que a cor faz a macheza ou a falta do que fazer completa de ficar pregando mentirinhas pela rua.

Eu sempre vesti a Sabrina com todo tipo de cor, sabe? E toda vez que colocava roupas azuis nela (lindas, combinando com o olhão! Rs!), tinha sempre uma mala pra perguntar se era menino (sabendo que era menina, só pra azucrinar mesmo). Eu costumava dizer que sim, pra encerrar logo. "Sabrina-moleque" tinha até nome: Tomás. :-D

moniquinha disse...

Olha,fiquei p.da vida com a minha mãe ,por não ter furado ao nascer.
Qdo fui furar ,aos 12,elas quase cairam por causa do brinco pequeno demais e se o furo tivesse fechado,nunca mais furaria novamente.
Por isso,furei da Gabi,já na maternidade...(hj não se fura mais)ela não reclamou,pelo contrário,fez mais um furo.
Mas eu amo usar brincos.Tenho uma irmã,que tb não quer/não fura a orelha de jeito nenhum,e nem esquento se a pessoa usa brinco ou não,sei lá,deve-se respeitar a individualidade de cada.


Há pessoas que antes dos 3/4 meses,nem vacina aplica nos filhos,envolve algo que nem me lembro mais,mas aí,já não concordo por ser a neurótica com doenças..rsrs

Mi Satake disse...

hahahahha, amei o Socia da Light Flavia!
Q bom esse cantinho!
Vou seguir ta?
Depois venho com calma pra conhecer td!

Olha no meu blog tem sorteio, passalá

Bjão

Lilian disse...

Oi, Flávia!

Então, eu adoro usar brincos... Nem sei quando minhas orelhas foram furadas, mas me lembro que era uma choradeira em casa quando furavam as das minhas irmãs (somos 4 meninas e eu a mais velha).

Agora estou grávida e também não pretendo furar a orelha de um bebezinho só pra reforçar gênero pros malas de plantão. Isso deve ser um incômodo. Sendo menina, depois que estiver maiorzinha, poderá escolher.

Só fico imaginando o jogo duro pra driblar os costumes e os presentes dos parentes (que certamente irão envolver alguma coisinha incompatível com bebês como brincos, pulseiras e até aneizinhos - ah, esses eu me lembro que nem gostava de ganhar, porque quando perdia, e sempre perdia, era bronca na certa!).

Beijos!

A Sócia da Light disse...

Ai, Lilian, nem te conto como é lidar com família nessa questão. Na verdade, como todos sabem que eu não uso brincos e não furo as orelhas das meninas, eles se tornam um bocadinho mais sarcásticos. É mais ou menos assim: "sabe que eu vi um brinco lindo pra Sabrina... Ah, é, mas VOCÊ É CONTRA BRINCOS". E olha que eu não sou contra brincos, sou contra a colocação deles nos meus bebês, só isso! :-]

Mi, bem-vinda ao meu cafofo, viu? E eu passarei lá no seu - apesar de ser azaradíssima com sorteios.
;-]

Anônimo disse...

Eu ja nasci furada e dai quando a Micadinha foi chegando quem disse q os hospitais daqui deixaram? Bem, eu nem liguei, e meio que disse quando elas quiserem , elas furam. Meio que cesaria Fla, eu tentei parto normal nos 3 primeiros, e dilatacao que eh bao nada...dai que no 4 eu disse vamos logo marcar essa cesaria filha duma figa pq nao vejo a hora de pegar meu bebe. E assim foi e deu muito certo do que ficar 72 horas em trabalho de parto, sim eu consegui o recorde! Dai que um dia a Miquinha 1 disse : quero furar a orelha, a Miquinha dois ouviu a irma mais velha e disse: quero furar a orelha e a Miquinha 3 de 5 anos quis entrar na fila primeiro, e deu certo exceto pela Miquinha 2 que ate hoje so pode usar oro pq senao a orelha cai.
Agora o que eu fiquei encafifada mesmo eh a senhora nao usar chinelos de dedo sabe por que? MEO DEOS somos alma "gemas" Fla! hahahaha Mica