segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Bocaditos

Tendo sempre muitas crianças em minha volta - e tendo sido uma criança, ué - posso dizer com certeza que uma das coisas que elas mais gostam é se espalhar na cozinha. Não tem nada mais divertido que mexer em ingredientes de verdade (principalmente os melequentos) e, literalmente, botar a mão na massa. Na massa de bolo, de preferência. Porque 9 entre 10 vezes que um baixote pede pra brincar de chef, ele quer é fazer bolo.

Sabrina, por exemplo, é ás na produção deles à essa altura. Tem até seu próprio arsenal - e cuida muito bem de seus mini-batedores, mini-forminhas, mini-espátulas e daquele avental enorme. Falou em fazer bolo, ela larga até o Peixonauta falando sozinho.

Criança adora mesmo o feitio de guloseimas - e, oras, quem vai culpá-los, afinal é uma brincadeira que envolve bagunça, sujeira, barulho de aparatos elétricos cortantes e forno quente. E depois ainda dá pra comer a brincadeira! Eu aprendi com eles a me divertir não só com o resultado, mas com o processo. E olha que eu tenho uma mão podre pra bolo.

A maioria sempre saiu meio esquisita, meio soladinha, meio sapecada, meio torta... Mas o sabor sempre foi aceitável. Pra evitar o desapontamento, aprendi também a seguir receita militarmente. Não aumento ou diminuo nada em meia grama, não substituo, não invento. Se a receita dá certo, na próxima vez faço de modo mais CDF ainda, pra não errar. E não erro mais. Tanto.

A única coisa que me permiti arriscar foi trocar as formas. Há algum tempo, faço as massas de bolo e, pra divertir a molecadinha, em vez de colocar todo o grude em uma aborrecida forma circular ou quadradona, separo em porções. Em bolinhos. Muffins, como eles dizem lá. Cupcakes eu não diria, que daí precisaria confeitar coloridamente e... bom, eu costumo achar toda cobertura de cupcake uma bela droga.

Uso a forma de muffins em lugar da padrão e nada sai errado. Muito pelo contrário. Descobri que assim, além de ficar tudo mais bonitinhos e encantar a petizada, ainda inibe a glutonice. Sim, porque, de faca em punho, eu sou capaz de destruir meio bolo em um chá da tarde. Com o bolinho avulso, um me basta. Não que estejam aqui vigiando quanto eu como, porque nem eu mesma vigio. Mas um basta mesmo. Pelo menos até o próximo café.

Se dia desses quiser testar seus habilidades e promover um salto de empatia com a criançada, garanto que a maioria das receitas permite a troca da forma grande pelas pequeninas. E eis abaixo uma sugestão de bolo. Normalmente a massa, depois de misturada, deve ir em uma forma tipo americana, aquela retangular típica de pão de forma. Mas, separados em bocaditos, as horas de alegria e deliciamento se perpetuam. Tenta aí:

Bolo de Limão com Papoula

Ingredientes: 2 xícaras de farinha peneirada; 1 xícara de açúcar; 1 colher (chá) de fermento em pó; 1 pitada de sal; 1/4 de xícara de leite; 4 ovos; 1 colher (chá) de essência de baunilha; 200 g de manteiga; 1/3 de xícara de sementes de papoula; 1 colher (sopa) de casca de limão ralada.
Ingredientes da calda: 1/2 xícara de açúcar; 1/3 de xícara de suco de limão.

Preparo: Em uma tigela grande, misture a farinha, o açúcar, o fermento e o sal. Reserve. Na batedeira, bata rapidamente o leite, os ovos e a baunilha. Acrescente a manteiga em temperatura ambiente e os ingredientes secos aos poucos batendo até misturar bem. Acrescente as sementes de papoula e as cascas de limão, mexa mais um pouco e coloque nas forminhas (de preferência, já forradas com forminhas de papel; senão, deve-se untar com manteiga). Leve para assar em forno moderado (180oC) por cerca de 25 minutos. Misture os ingredientes da calda em uma panela e leve ao fogo baixo, mexendo somente até derreter o açúcar. Quando retirar os bolinhos do forno, pincele a superfície com a calda. Deixe amornar e sirva. Rende cerca de 14 muffins.

Um P.S. meio longo: encontrar as sementes de papoula está muito difícil hoje em dia. E o motivo não podia ser mais estúpido. A fiscalização brasileira não permite mais a importação do produto alegando que ela poderia ser usada como alucinógeno. Non sense: as sementes culinárias não são germinadas e por isso jamais poderiam dar vida a uma plantação de ópio-que-passarinho-não-bebe. Sem elas o bolo ainda fica bem gostoso, mas sem o "twist". Agradeça à cretinice da vigilância nacional.


Esses são os primos de mirtilo. Um dia posto a receita desse - que a Sabrina adora porque o mirtilo estoura no cozimento e "fica uma melequinha gostosa"

6 comentários:

Kiyomi, a.k.a. Piggy disse...

Oi Flavia! Acompanho vocês desde o tempo do "Garotas", mesmo do outro lado do mundo rs.
Acho fofo e lindo criança que se aventura na cozinha com a mãe dando o maior apoio, sem frescurites nem nada! Por isso que adoro seus posts com suas filhotas!!
Tambem resolvi fazer meus bolos em forma de minibolinhos como vocês fazem, porque aqui em casa somos duas formigas (eu e o dignissimo) e se deixar na assadeira, numa tarde vai a assadeira toda!
Aqui o popseed (as sementes de papoula) encontra-se com uma certa dificuldade tambem, mas pelo fato de ser importado e nao é em qualquer supermercado de bairro que se encontra.
Nao sabia que esse produto está proibido de entrar no Brasil. ô desculpa mais cretina que a fiscalização alega, hein!
Ah, tambem quero a receita do bolo de mirtilo! Aqui a gente encontra facinho facinho!
Beijao!!=D

Nanael Soubaim disse...

Isto sim é brincadeira saudável. Sabrina vai te agradecer por isso antes mesmo de alçar vôo.

Dri_ disse...

E parece que pouca gente entende isso, Wonka!

Óbvio que não é para ajudar no preparo do almoço de 2ª a 6ª, que tem hora marcada, mas domingo à tarde sem pressa, que leve duas horas pra conseguir fazer o bolo... vale a pena!
E que os coockies fiquem duros, quem se importa? Victor já pega sua touca e puxa o banquinho pra dar altura na pia rsrsrsrs

Marcelo disse...

Belo post, eu lembro de me sentir todo importante ajudando minha mãe com o bolo de cenoura.

Vou testar essa receita, minha sorte é que tenho meu próprio vaso de papoulas, nunca pensei em usar as sementes assim.

Aliás, conhece o bolo de caneca? Talvez a Sabrina curta. Aí vai:
Bata numa caneca grande um ovo, acrescente 4 colheres rasas de sopa de açúcar peneirado, 4 colheres de leite, 3 colheres de óleo, 3 de chocolate em pó e misture tudo, no fuet ou no garfão mesmo. Por último, coloque 4 colheres rasas de farinha e 1 colherinha de café de fermento, tudo peneirado. Com 5 min de microondas na potencia maxima, fica ótimo! Pode ainda fazer calda com 2 colheres de leite, 2 de açúcar, 3 de chocolate e 1 colher de chá de manteiga, misturando num pote e deixando 30 seg no micro. Se deixarem faço bolo de caneca todo dia, já que sou do tipo que não engorda de ruim.

Chicória disse...

Oi, Flá!
Segui a sugestão do muffin mas usei outra receita, esta aqui, ó, acho que você vai gostar, ficou uma delícia:
http://www.hellololla.com/2011/02/fim-de-inverno.html
Só não deu totalmente certo porque a receita é mais molinha e nas forminhas de papel para cupcake os bolinhos acabaram meio monstrengos, rs. Mas realmente é bem mais divertido. Um beijo.

moniquinha disse...

Por aqui.só Murilo gosta de ajudar na cozinha,principalmente se for bolo,fica todo contente.
E meus bolos até que saem bonitos,n tanto como os da minha mãe,mas né,um dia chego lá.