terça-feira, 13 de março de 2012

Mas só se...

Eu conheço um monte de gente que anda pela casa dos 30 e está com aquela senhora dúvida sobre ter ou não filhos. Seus problemas acabaram, minha gente querida que ainda curte baladinha mas já vê nascer cabelos brancos nos flancos da cabeça e têm dúvidas se quer ou não morrer solitário e esquecido!

Posso dar minha visão do caso. É fácil. Só tenha filhos...

- se você não liga de usar banheiro público todos os dias da sua vida. Sim, porque o lindo banheiro da sua suíte, mesmo tão privativo e aconchegante, será diariamente invadido por gente de pouca estatura que não bate, não liga pra sua privacidade e não pode esperar pra saber 'onde tá o meu coisinho, manhê?';

- se você não tem nojo de quase nada. Porque é certo que, dia ou outro, será preciso beber daquele copo visguento onde o diabinho babou horas intermináveis (porque o copo precisa ser esvaziado porque o segurança não permite a entrada de bebida ou coisa que o valha);

- se você adora mostrar suas partes corporais privadas em público, quando os 'de menor' puxam a blusa da mamãe pelo decote até a altura do umbigo ou levantam a saia da supracitada mamãe em busca de esconderijo secreto;

- se você não liga de ser excluída de todo e qualquer evento social mais descolado e jovial 'porque, né, a gente sabe que você nunca vai porque tem a criança...' (a palavra 'criança', aqui, deve ser pronunciada como se fosse 'lepra');

- se você aceita bem umas rugas de preocupação a mais a cada febre sem sentido, virose misteriosa ou queda na qual aquela cabecinha molinha e miúda acertou a quina da mesa com a força de uma bigorna em queda livre;

- se você não faz questão de ter uma conversa com sua cara-metade que tenha início, meio e fim;

- se você faz questão de continuar sendo o filho dos seus pais - porque no exato instante que netos nascem, eles dão fim ao posto de pai e mãe e viram apenas o vovô e a vovó (e você, no caso, passará a ser somente a entidade dispensável que acompanha o 'tesourinho da bobozinha!');

- se você acha normal observar rostos transtornados quando adentra a cabine do avião com um bebê nos braços - e todos te fazem sentir como alguém que está embarcando com uma jaguatirica devoradora de humanos e com alto-falantes embutidos;

- se você gosta de assistir o mesmo desenho animado no DVD por 849 vezes seguidas - cantando junto;

- se você concorda em, no fim do dia, se parecer mais com a Cuca do que com a Angelina Jolie.


Mas aviso também que você não deve de modo algum ter filhos se...

- você não pretende conhecer o maior amor que há nesse mundo, não tem intenção de surtar de alegria e contentamento por ter a chance de ver outro ser humano crescer dia a dia e nem quer viver com a constante sensação de ser amado e estar completo e feliz.

Ajudei pacas, dizaí.

9 comentários:

Viviane disse...

Lindo com sempre....

juliana disse...

Uma lagriminha caiu agora...
É a mais pura verdade! Há mais um milhão de motivos contra e o infinito a favor.

Simone Campos disse...

Perfeito!!!
Acrescentaria nas 849 vezes do DVD a dança! Afinal, para que serviram nossas aulas de balé? Para dançar a dança do Lôro com o Patati e o Patatá!
E sobre dormir, melhor não contar, né?

Mariliz disse...

Ajudou! Ajudou muito!
Quero filhos, pode ser?
Bjs!
Adoro seus textos!

Chicória disse...

Ajudou, sim, é isso mesmo, ué! :oD

Paulinha disse...

Ah um dia eu irei experimentar essa coisa linda que se chama maternidade. Mas por enquanto fico na "tiadarde", curtindo, babando e cuidando meus sobrinhos postiços rsrsrs
Parabéns pra todas as mamães!!!!

Anônimo disse...

E eu copiei e colei, e escrevi seu nominho no texto e passei pras colegas :)

Dri

Sócia da Light disse...

Você é uma Dri querida. :-D

Clá disse...

eu nao tenho filhos, nem sei se quero tem...mas faço tudo isso pelos meus afilhados...inclusive a parte do amor...entao acho que ja to preparada:)