sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

A vovó 90 é nota 100


Eu só espero chegar nessa idade do mesmo jeito que ela: com a mesma tranquilidade, o bom humor ácido, a cabeça ligada no 220V, mão boa pra costura e melhor ainda pro nhoque, o semblante de quem acha que valeu a pena.

Minha querida Emília, cheia de marra, fez 90 anos em uma festança daquelas fortes. Festança forte de vovó de 90 anos, vocês conhecem?

Tem comidas fáceis de mastigar, tem espumante quase infantil, tem os primos que só se veem uma vez por ano e os tios que vieram do interior e te assolam com apertões na bochecha e a infalível pergunta "você é filha de quem mesmo, lindá?". E quando você responde "do Luiz, tia", quase berrando pra ser ouvida, o efeito é inócuo. E ela lá é capaz de lembrar quem é o Luiz, pô?

Teve o momento das fotos, com um entra e sai de cena comparável somente a uma apresentação pública de Shakespeare - dado o número de personagens ser superior a cinco dezenas. Vó aboletada na cadeira, entraram os filhos e filhas (6); as noras e genros (4); netos e netas (12); netos e netas agregados (10); bisnetos e bisnetas (7); agregados de verdade (um monte).

Teve o momento do jantar, com massas de buffet que não faziam jus ao talento da minha vó, mas valeram pelas brincadeiras na fila (velhinhos não tiveram preferência, porque senão estaríamos lá até agora).

Teve o brinde zoado, o bolo com a vela que incendiou, as crianças brincando no palco, a molecada que chegou depois do Enem, a molecada que não chegou, as fofocas, as risadas... E a Emília curtiu cada momento. Espero que ela tenha feito uma rápida retrospectiva e concluído mesmo que tudo valeu a pena. Ser neta dela, pra mim, vale tudo.

7 comentários:

mihuda disse...

Ah que linda a foto!!!
Ter avos eh magico, ne?
Tenho saudades dos meus!!!

Nanael Soubaim disse...

Ela não parece ter noventa. Deve ser o efeito de ter vivido bem a própria vida.

A Sócia da Light disse...

Ela sofreu um pequeno derrame faz alguns anos e única sequela foi que agora ela fala em enrolado. Nós notamos, mas a Sabrina, por exemplo, nem tchuns: ela e a Bisa batem altos papos - apesar de, normalmente, falarem sobre assuntos diferentes. :-]

Ela é minha última avozinha viva, Paulinha. Sinto falta dos outros também, todos foram sensacionais.

Paula Baltazar disse...

Eita, que coincidência Flavitcha!
Sábado passado lá estávamos mami e eu, enfrentando duas horas de trânsito + obras (intermináveis) da marginal para chegar à festança de 90 anos da tia do meu pai!
Que, aliás, curtiu como ninguém, comeu de tudo e tomou um copo de cerveja em cada mesa, jogando conversa fora e, o mais impressionante, lembrando de todos e chamando cada um pelo nome (certo!). Quando eu disse que ela estava linda, ela me respondeu que "os Baltazar duram muito, Paulinha!" com um sorrisão nos lábios. E eu pensei que, se for para durar muito, que seja do mesmo jeito que ela!
Parabéns prá vó Emilia, prá minha tia Nica e prá nós, que temos o privilégio de conviver com essas fofas. ;-)

Dark disse...

Avó é uma beleza mesmo, a minha, vou confessar não faço idéia de quantos anos ela tem sempre erro, mas ela vive com a corda toda, vai pra ginástica, yôga e não sei mais o que e faz o melhor risoto do mundo.

Parabéns pra sua vó Flá.

Ps.: Se os Baltazar duram muito, até quando vamos ter que aturar a Paula? :D

Flá disse...

Pensei o mesmo, Dark... Paula vai enterrar todos nós - e contar piadas escabrosas nos nossos enterros, óbvio. :-D

Moni disse...

hahahahaha medo da Paula!

Parabens para a vó Emilia..familia linda!