quarta-feira, 29 de setembro de 2010

É ver e abrir a torneirinha

Tudo bem, vai ver tem a ver com os hormônios em fúria pós-parto. Não, não... pensando bem, o fenômeno acontece desde que vi o filme no cinema, numa tarde chuvosa, sozinha - e abri as comportas do chororô assim que Meryl começou a cantar "Slipping Through My Fingers" em "Mamma Mia". E olha que isso se repete toda santa vez que revejo a cena, incrível.

Acontece que a música do ABBA toca fundo esse coração que, todo dia, pensa nas meninas crescendo. Uma era bebê ainda outro dia, e agora já sobe pra sala de aula sozinha, mochila e lancheira a tiracolo, dando um beijo corrido pela pressa de ir mostrar a lição de casa pra professora. A outra, tudo bem, só contabiliza 10 dias. E levante a mão quem acredita que a mamãe aqui já sofre pensando no dia em que ela também vai estar subindo pra escola sem saudades do meu colinho! Isso pra não falar sobre a ida de cada uma pra faculdade, o primeiro passeio solo guiando o carro, o primeiro namoradinho, o dia em que mudarem de casa...

Quem clicar ali pra ver o video e sentir uma pontada no peito e uma enchente nos olhos é do meu time. Quem não... esperem só até seus bebês nascerem e irem crescendo, daí vocês me dizem!

11 comentários:

Gabriela Petrucci disse...

Eu também chorei com essa cena. E olha que nem sei se quero ter filhos...
Eu ia dizer pra você ficar tranquila e aproveitar bastante as meninas, mas não gosto de cair no clichê e, bem, você já deve saber disso!

Beijos, Flá.

A Sócia da Light disse...

Ah, Gabi, eu acho que aproveito os momentos com as meninas mais que muito pai e mãe, viu. Sou sortuda. Mas, até por isso, acho que um dia vou ter muuuitas saudades desses anos incríveis.

Tranquila eu vou, porém. Fazer o quê, né? Não tem máquina do tempo, pra voltar e dar uns apertões nos bebês que já cresceram! Antes tivesse. ;-]

Daniele disse...

Nossa, eu q só vejo de bisbilhoteira outro dia me espantei com tamanhão da Sá. Sempre pensei q filhos são um rompimento definitivo com a infância, deve ser exagero meu, pra variar... Até tô começando a não achar tão terrível a idéia de um dia ter filho, mas bebês têm 2 grandes problemas, crescem e não são autolimpantes! :D

Nanael Soubaim disse...

E justo quem colocaram para cantar? Aproveite, Flávia, não se furte o direito de cada segundo, veja o filme do Zé Colméia com elas, no devido tempo mostre tuas photographias de infância, deixe-as cientes de cada passo. Não é egoísmo. Quando uma pessoa consegue usufruir de tudo o que uma fase oferece, tem direito a acompanhantes.

Clá disse...

essa musica, a cena em si é demais!!! afinal, como nao chorar numa cena emocionante protagonizada pela meryl streep...

e a fotinho da olivia???

sabia que ela nasceu no dia mais importante do rio grande do sul, dia da revolução farroupilha hehehehe

Marcelo disse...

Não tem nada a ver com o assunto do post mas, acabo de descobrir minha amada ex-chica que habla ni e não podia deixar de expressar minha alegria. Também achei um blog da Clarinha, mas e a Vivi, por onde anda?
PS: Adorei o nome do blog!

Moniquinha disse...

Snif...

deu vontade de abrir a torneirinha agora mesmo,tem um lencinho aí?

Flá,
te digo uma verdade,a gente nunca está preparada,qdo a GABI,apresentou o namorado,fiquei em choque e muda.
Triste é o que digo..rs

A Sócia da Light disse...

Olha, eu nem sabia que ela tinha nascido no dia da Revolução Farroupilha, Clá. Mas eu já notei que ela é meio revolucionária, sim. Já aprendeu a sacudir as pernas até arrancar as calças. :-D

Então me achou, Marcelo? Que bom! Volte sempre e traga os amigos - mas não pensa que aqui é o Garotas, com aquela postagem profissa, viu? Aqui a pessoa só faz o que pode. ;-]

Moni, eu vou ignorar sumariamente seu comentário porque eu NEM QUERO PENSAR no primeiro namorado... acho que vou colocar no convento enquanto posso. :-O

Nanael Soubaim disse...

Ok, fundarei a Irmandade dos Guardiões do Pergaminho, quando ela tiver idade para pensar em namoro, já teremos um convento com um apartamento pronto para recebê-la ;-)

moniquinha disse...

Só foi um aviso e vc faz é muito bem colocá-las num convento ,sua saúde mental agradece...

Roberto disse...

Eu tenho 47 anos e foi a cena mais emocionante do filme.... chorei muito de saudades de meu filho...