segunda-feira, 14 de março de 2011

Bota água na generosidade, vai?

Generosidade é a virtude de quem é nobre, de quem tem grandeza de alma e dá sem pestanejar, sem medir esforço, sem esperar retorno. Ser generoso é do caralho, né?

É uma das qualidades que eu mais admiro, junto com a gentileza. E admiro principalmente quando é uma generosidadinha assim pequenininha, que ninguém em volta percebe direito. Só quem recebeu a generosidade - e, mesmo assim, às vezes nem esses.

Gosto daquele ato de fazer um bem por pura... pura generosidade mesmo! Daquele que pega o bife menor pra que o outro coma o maior; daquele que assiste um programa de TV estúpido só pra agradar o parceiro; daquele que cuida da criança e depois diz "magina, fez bagunça nenhuma, foi ótimo!" (mesmo a gente sabendo que o moleque tocou o puteiro máximo a ponto de escalar as cortinas até o varão).

Generosidade bobinha me cativa. As grandes também, claro - quem não vai achar bonito o milionário doar uma grana preta pra instituição que cuida de gente doente? É lindo e ótimo. Mas é que nem todo mundo pode com uma generosidade dessas, sabe-se disso. Nem todo mundo pode repartir seu jatinho. Por isso que repartir o pãozinho já é de uma nobreza deliciosa.

E o legal da generosidade é que parece que ela tem tudo a ver com dinheiro, mas não tem nada. Pode ter, mas não necessariamente. Acho lindíssimo, por exemplo, ver alguém gastar seu tempo precioso em prol do outro. Quem tem tempo hoje em dia? Ele vale ouro! E daí um amigo para tudo o que está fazendo pra ajudar o outro a pintar a parede no sábado às 8h; ou sai do trabalho mais cedo pra salvar o jumento que não revisou o carro e está parado na Marginal; ou vara a noite em claro cuidando do cachorro alheio que só uiva de saudade. E nem reclama!

Generosidade assim, aquela real de quem não quer paga, é coisa de gente nobre mesmo. Não de quem tem o título, o poder, a bufunfa ou o sangue azul da cor do céu. É nobreza de caráter, de saber que cada um de nós é só uma engrenagem bestinha nessa máquina e que, porra, nossas ações se completam. Não?

Se eu pudesse querer algo pro mundo hoje, ia querer mais gente generosa nascendo. Porque poucas coisas são mais do caralho que a generosidade.

13 comentários:

Kiyomi, a.k.a. Piggy disse...

Oi Flavia! Esse texto veio a calhar para nós num momento difícil, do outro lado do mundo. Felizmente o pior passou, estamos todos nos mobilizando para ajudar no que for possivel. Quem nao puder, ao menos está ajudando a manter os familiares tranquilizados, com noticias reais, sem sensacionalismos.
Todos vão sair dessa e as pessoas estão nesse mutirão bem como outros países também ajudando.
Beijao!

Flávia Pegorin disse...

Ah, Kiyomi, eu não faço ideia do que te dizer, querida... Nós aqui amamos demais o Japão, sua gente, sua cultura - e corta o coração de um jeito muito doloroso ver na TV o que está acontecendo. Sabrina está tristíssima e preocupada, ela adora o Japão.

Mas o que dizemos toda hora, com a força do pensamento lá em cima, é que a gente sabe o quanto os japoneses são especiais e como vão superar isso lindamente. Certeza!

Espero que você e os seus estejam bem e encarando as dificuldades com tranquilidade.

Um beijo imenso, do tamanho do coração do Japão!

Eduardo disse...

Flá,
Valeu pela SUA generosidade em dividir esses textos legais!
Beijão,
Du

Flávia Pegorin disse...

Valeu pela SUA generosidade de sempre elogiar as besteirices que eu escrevo, Sir Eduardo! (Esse é nobre, ave... Desde que era Dudu, desde 1990, um nobre! rss!).

Chicória disse...

A generosidade e a gentileza são daquelas coisas bonitas que faz a gente ter orgulho de ser humano...

Shayenne disse...

Apoiado, Eduardo!
E apoiado também, Flávia: mais gente generosa nascendo, já!

Sobre o texto anterior, também sou do grupo que acha que não importa o quanto seus textos demorem, eles sempre fazem a espera valer a pena. ;)
Agora é esperar pelo texto sobre zica.


Beijo.

Dri_ disse...

Tô achando que a generosidade tem a ver com as modas que vc anda inventando, citadas no texto anterior...

Kiyomi, a.k.a. Piggy disse...

Ai, Flavia... estou chorando de emoção agora ao ler sua resposta... Embora onde eu estou teve um abalo razoavel (moro em Yokohama e trabalho em Toquio, capital do país), estamos nos esforçando para ajudar as províncias atingidas, seja transmitindo as informações (via blogs, twitter, FB, porque atraves do telefone as comunicações naquelas áreas foram interrompidas) seja por doações pela propria comunidade.
Estamos tambem ajudando a economizar energia para que o país se recupere rapidinho, tal como foi em Kobe (1995), que ficou uma cidade linda de se visitar!
Estamos sendo otimistas e voltando a normalidade da forma mais tranquila possível. Claro que não tudo de uma vez, mas tudo vai dar certo, sim.
Flávia, você foi MUITISSIMO generosa em compartilhar esse texto maravilhoso para todos nós. Coloquei o link no twitter pois felizmente existem pessoas generosas como voce que sabem o tão grande o bem da generosidade faz seja nas horas dificeis ou não e quero tambem compartilhar com todos.
Ah, desde o tempo das Garotas que acompanho voces, mesmo agora em separado, mas voces são sempre unidas, porque uma vez amigas, sempre amigas no coração.
Um beijao pra você, pra Sabrina, pra Olivia (suas duas fofices que adoro!) e um abraço pro Dono da Casa! =D

Kiyomi (Yokohama, Japão. Ah, esta cidade não ficou submersa como muita imprensa sensacionalista andou espalhando!)

Nanael Soubaim disse...

Há muita gente generosa reencarnando e em plena actividade, Flávia, mas estas geralmente não gostam de holofotes atrapalhando o foco de seus objectivos. Os bastidores dão uma liberdade nuito maior a esta gente.

Sócia da Light disse...

De fato, N., os generosos que ficam na surdina dão, como disse a Chicória, ainda mais orgulhinho de ser humano.
:-]

Kiyomi, do que precisar daqui, pode me usar como vetor, viu? Gostaria de pegar meu porta-aviões e ir até aí nanar todas as criancinhas japonesas num cobertor bem fofo, mas como não tem jeito disso, ofereço todas as minhas good vibes e toda minha disponibilidade diminuta pra você e os seus. De repente precisa de um pacote de café Melita pra lembrar daqui, quem sabe...? :-*

Shay, sua linda, eu pretendo não te fazer esperar muito mais! :-D

E Dri... Bom, os planos não são nada generosos, são só autofinanciadores mesmo... Mas vai que eu ponho mais dinheiros na conta e acho mais tranquilidade pra escrever mais aqui e fazer gente contente, né? Fingers crossed!

moniquinha disse...

Belas palavras!como sempre.

bjos generosos

Fabio disse...

Adorei, principalmente com as pitadas de palavras de baixo calão! Ahaha..Bjs

Lala disse...

Conheci um moço uma vez, numa reunião, que, dado ao impasse em que nos encontrávamos, se levantou, pegou uma caneta e foi para o quadro branco dizendo: "Nós não estamos conseguindo chegar a um acordo no contrato porque nenhum de nós está sendo generoso", e escreveu no quadro "GENEROSIDADE". E explicou:"Generosidade é dar livremente aquilo que você tem".
Nunca mais esqueci, e ele nunca mais deixou de ser uma das minhas pessoas favoritas no mundo!