sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Me dá um exemplo?

Quando a gente afinal tem um filho, uma coisa que parecia mito se mostra bem verdade: exemplo é tudo. Havia lá o tempo em que a mãe dizia "não dá mau exemplo pro menino!", ao mesmo tempo em que cutucava o pai mandando o cara parar de roer as unhas e cuspir. E aí a gente, que costumava achar isso a maior conversa fiada, repara que é sério mesmo. Exemplo conta.

Pois eu vou dizer que atentei bem cedo pra essa coisa do exemplo com a Sabrina - o que, infelizmente, não significa que seja fácil estar sempre alerta feito uma escoteira dos bons modos. É fogo dizer que ela precisa comer tudo o que está no prato, quando eu mesma tenho ânsia de certos legumes, cortes de carne e da mistura de doce com salgado.

Aderi à academia de ginástica pra mostrar à Sasá que exercício é muito importante. Ela começou a reclamar que a capoeira é muito difícil, eu corri fazer musculação pra demonstrar a enorme satisfação que há no cansaço e no suor! O que, na realidade, eu acho um porre sem parâmetros.

Ainda abro a geladeira e mamo, no bico da garrafa, o restinho de suco - às escondidas, pra Sabrina não tomar o exemplo bem nojento. Ainda vejo TV até 1h00 da madrugada, mas não conto pra ela jamais (e, pra todos os efeitos, eu durmo às 20h15!). Ainda contenho os palavrões (ou tento), preferindo o "idiota de M!" pra xingar o sujeito que fecha nosso carro. E se ela pergunta o que é "idiota de M", eu invento que é um jeito de chamar quem dirige carro azul.

Dar exemplo é, pra ser sincera, um belo saco. Mas os pequeninos são feitos à nossa semelhança, não tem como deixar de notar. E vai se fazer o quê? Eu não quero, um belo dia, ser pega em contradição por uma pirralha com dedo em riste dizendo "mas você lambe o dedo pra virar a pégina!". Comigo não. Exemplo é tudo. E agora dê licença, que eu preciso ir correr na esteira da academia.

10 comentários:

mihuda disse...

tell me about it!
Aprendi quando minha irmã nasceu. E o "problema" fica mais cabeludo quando os pequenos se aproveitam de nossa "influência" para sair pela tangente. Como minha irmã fez aos cinco anos. Ao voltar da aula de informática (isto há 14 anos atrás) descobri o que ela tinha feito. Minha mãe questionou o por que daquilo. E a espertinha colocou a culpa em mim dizendo que como eu, na época com 13, queria fazer a sobrancelha. Mas com a pinça doeu e então optou pela tesoura. Infelizmente o "desenho" não ficou bom e ela resolveu cortar tudo. Levei a culpa, mas como uma "boa irmã mais velha" ri muito da situação chamando ela de Cap. Harris da Louca Academia de Polícia.

Dark disse...

Me lembre de nunca mostrar esse texto pra minha mãe, porque dará argumentos para que ela enfatize que sou um mau-exemplo ambulante, só porque os dois pequenos de casa se viciaram em doce, desenhos de heróis e em responder:"Sou porco mais sou feliz, mais porco quem me diz." E de nada adiantará eu contra-argumentar que eles bebem do gargalo da garrafa por causa dela, pois ela dirá que nunca fez isso e que mãe não mente.

Flá disse...

Mãe não mente mesmo! No máximo, arranjar subterfúgios. :-]

Mas mihudinha, que foi essa história da tesoura! Minha irmã, pelo menos, de pequenininha, aparou só a franja (e ficou parecendo paciente do Pinel).

Muta disse...

hehehe, exemplos, exemplos...

hoje tenho apenas que cuidar dos (maus) exemplos que posso acabar passando pros filhos do meu cunhado, mas mesmo assim dá trabalho.

quero só ver quando eu tiver os meus em casa e em tempo integral... droga, vou ter que parar de fazer tanta besteira!!! =P

Dave Coelho disse...

E se a Sabrina encontrar um motorista de carro azul e mandar um "Idiota de M!" pra ele?
Tem que ter cuidado até em dar bons exemplos ruins! hahaha!

Fabiana disse...

Ah, mas os pequenos são implacáveis. Numa loja dessas que vendem utensílios domésticos, a gente procurando um presente pra vó Nadir, e a Clarice alucinada querendo pegar em todos os cristais disponíveis.

"Filha não fica mexendo em tudo"

"Mas mãe, você e o papai mexendo e desarrumando tudo."

Anônimo disse...

Mas D.Fla,

dar exemplo e uma responsabilidade enorme,tem horas que a unica coisa que consigo e nao dar bons exemplos e tome palavrao cabeludo e feios.

Tsc tsc....

Moniquinha

carolpalitos disse...

Lembrei imediatamente do Thales. Hoje, após visualizar uma situação inusitada, soltou um sonoro "ih, f*deu".
Para a minha mãe.

Lala disse...

Menina! é Como uma tia minha que tem a boca mais medonha e suja do mundo - não podia dizer pra menina que não podia falar palavrão. Então ensinou que palavrão é coisa que só se diz dentro de casa. E a pequena aprendeu a ponto de, ouvindo alguém dizer "aquilo" na escola, já dava uma escovada: Ih, olha lá! Isso aí só pode dizer em casa!

Moni disse...

Flá, eu sou boca suja! se bater no dedo, se alguem atrapalhar no trânsito, etc, eu fico xingando (chucha, em espanhol) e o Julián outro dia apareceu dizendo isso!

Tive que pedir para ele parar de dizer isso, que isso era francês e ninguem iria entender o que ele estava dizendo! ele parou até hoje e espero continue assim!