segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Posso ver o que você usa para limpar sua privada?

Vocês sabem como são as comadres. Uma vai, a outra vai atrás. Ou isso eram as vacas? Ah, sei lá. O fato é que quando Flá me mostrou este Sócia da Light eu fiquei emocionada. Juro. Do olhinho encher d’água. Quando ela disse que eu era bem-vinda a participar quando quisesse, então... Demorou nada nada e cá estou eu, me enxerindo.

O fato é que há algo que me atormenta na TV ultimamente. Eu quero saber qual a imagem, afinal, que a propaganda faz da dona de casa. Tá certo que as imagens mudam a velocidades vertiginosas nestes tempos de superinformação; ok que ninguém mais compra a ideia de uma mulherzinha de bobs no cabelo, avental e vassoura na mão. Só nós, claro.

Mas por que toda dona de casa tem que ser morena, para começar? Pode ver. As boas mães que protegem seus rebentos contra os insetos e as bactérias, as mulheres responsáveis por tirar as manchas bizarras das camisas da família (quem, meu Deus, quem enfia um morango, uma amora ou coisa que o valha debaixo da gola de uma pólo e espreme?!), até as donas de casa que trabalham fora e, no fim do dia, garantem a refeição da trupe com um bagulho embalado a vácuo numa caixinha: nenhuma é loira.

Vai ver é verdade que os homens preferem as loiras, mas se casam mesmo com as morenas. De preferência, as de cabelos lisos e médios.

(Flá, se tudo der errado, toca fazer propaganda! Você é bem mais espontânea que a mãe do menino que descobre a mancha no uniforme com o ônibus da escola na porta).

Curiosamente, âncoras de telejornais loiras também são exceção. Na Globo, nunca existiram (não me venham com a moça do tempo). Hum. Eu sou loira, mulher, dona de casa e jornalista. Não que meu sonho seja informar à nação que o preço da gasolina vai subir, mas será o momento de procurar um plano B?

(Flá, se tudo der errado, posso ser sua empresária?)

De qualquer forma, acho que é mais fácil descobrir o misterioso porquê da hegemonia castanho-escura entre as mães-donas-de-casa do universo do reclame do que entender que picas se passou pela cabeça da equipe que fez a propaganda de um produto de limpeza de privadas com a Ingrid Guimarães. Não sei se vocês já viram, mas é algo assim:

Ingrid Guimarães, de microfone em punho e cameraman a tiracolo, toca a campainha de uma casa. Moça abre a porta.

- Oi, Julia!

- Oi, Ingrid!

- Posso dar uma olhadinha no que você usa para limpar seu vaso sanitário?

E elas entram na casa da mulher.

Gente, sério. Se eu atendo a campainha e dou de cara com a Ingrid Guimarães e um cameraman, e ela me pergunta se pode ver o que eu uso para limpar a privada da minha casa, seria a situação mais surreal da minha vida. E olha que eu já fui a festivais de reggae, o que considero deveras surreal. Como essa tal Julia encara tudo com tanta naturalidade?

Se isso acontece comigo, eu procuro a câmera da pegadinha ou o microfone do Videoshow. Eu fico 30 segundos tentando entender o que ocasionou uma visita tão surreal. A última coisa que eu faço é sorrir naturalmente, falar “oi, Ingrid!” e deixar ela entrar e ver minha privada.

Mas o que eu sei sobre limpeza da casa? Nada, claro. Afinal, sou apenas mais uma loira.

* * *

Clarissa Passos, minha amiga, irmã e sócia - não da Light, mas do saudoso Garotas que Dizem Ni -, fez hoje essa participação especial indignada contra as propagandas de produtos de limpeza. Aguardem outras participações dela - sempre muito limpinha e asseada, apesar de loira.

10 comentários:

Dark disse...

Ótima participação da Clara aqui, e respondendo sua dúvida, as loiras não estão nas propagandas de dona de casa porque todas estão trabalhando nas de cervejas, só as ruivas não tem um nicho só delas.

Quanto a Ingrid e a privada, prefiro não comentar, aqui é uma casa de família.hahahaha

Fabiana disse...

Essa propaganga com a Ingrid Guimarães só não é pior do que aquela do menino que quer fazer xixi na casa do Carlinhos.

Tacy disse...

Vai ver as morenas são mais confiáveis. E nem estou falando isso por ser morena, tá? =P

Mas o Dark lembrou bem: as loiras estão no comercial das cervejas.

Adorei a participação.

Paula Baltazar disse...

Festivais de reggae??? Eu preferiria todo o elenco da Globo investigando os cômodos da minha casa.

*Que saudade dos seus textos, coisa louca!

Nanael Soubaim disse...

Ruivas são boas para comerciais de xampú (shampoo é muito besta para o meu gosto getulista) com filtro solar, cartões-postais de países nórdicos e papéis de mulheres pequenas que mandam em todo mundo.
Clarissa, minha filha, antes essa Ingridi (quem?) do que o Gugu. Se ele aparece, eu chamo a Rotan.

mihuda disse...

Concordo com o Dark, as loiras são guardadas p/ propagandas de cerveja quando adultas ou McDonalds quando adolescentes. O papel delas é dar bola para os maridos ou namorados das morenas!
As ruivas atuam em comerciais de coloração p/ cabelo! Já elas gostam é de tentar os maridos das morenas!
E cabe as morenas cuidar dos filhos dos maridos, da casa, da janta, das cuecas, das toalhas molhadas em cima da cama...
Brincadeira...
É Clara acho que o fato é que por mais criativa que a propaganda brasileira possa ser ela não consegue larguar da borda da piscina, isto é, vive de clichê!
Btw, lindo te ver por aqui!

Monique disse...

Não era xixi, Fabi! O menino queria fazer cocô na casa do Carlinhos! Espero que ele tenha comprado um bom video-game com o dinheiro do comercial ou ele vai xingar a mãe de todos os nomes possíveis quando crescer. =D

Flá, tá uma delícia esse cantinho, hein? Cheguei, já me acomodei e tô adorando suas visitas e a conversa!

Moniquinha disse...

Para variar a loira,arrasou.

E o comercial é algo bizarro e de um mal gosto que nem sei.
Eu não deixaria ninguém entrar p/ ver meu vaso sanitário,tem dó,tanta coisa boa,e querer ver privada, é o fim!

e para não perder oc ostume,ri muito com o texto da "doida" que amo tanto.

Luciana disse...

Tô chorando horrores de rir!!! Eu sempre me irritei com esse comercial da Ingrid Guimarães! E o da amora embaixo da gola? Como sempre, Clá, vc sempre vem com algo que me incomoda! Adoro!!!

Rebeca disse...

Nossa como eu amava ler garotas que dizem Ni, era a diversão de todas as minhas tardes uma paixão virtual