quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Sebo nas panelas!

Eu vou confessar que rolo de rir por dentro quando escuto alguém dizer "ah, eu não sei cozinhar". Acho muito engraçado, porque pra mim parece o mesmo que alguém dizer "ah, eu não sei respirar". Todo mundo sabe cozinhar, uai. Mesmo quem só tem habilidade pra ferver água pro macarrão ou traquejo pra construir um sanduíche sabe cozinhar, sim. Aperfeiçoar esse traço, no entanto, é do que muitos precisam.

Não vou dizer que eu sou, assim, um Jamie Oliver (apesar de ter todos os livros dele). Mas eu curto me chegar na área da pia e do fogão - do microondas não, eu dispenso, só uso pra esquentar ou descongelar e em casos emergenciais. Gosto de cozinhar porque, bem, eu gosto de comer. E todo mundo que gosta um pouquinho que seja de comer tem que saber fazer algum quitute pra chamar de seu.

Eu entendo quem teve lá seus traumas - ateou fogo na frigideira uma vez ou fez desandar um mero arroz - mas isso não é desculpa. Cozinhar é uma questão de sobrevivência. E de vergonha na cara também, sejamos sinceros. Porque tudo se resume a treino, perseverança, organização e coragem. Um bom senso de paladar ajuda.

O mais legal de se embrenhar entre panelas e ingredientes, no entanto, não é só o regozijo pelo trabalho finalizado e "comível". É a possibilidade de dias melhores. Quando a gente cozinha, aprende a conhecer os sabores, os cheiros, as texturas. Aprende até a gostar de coisas novas - e a ver que coca-cola é bom, mas um suco fresco pode ser um idílio. E, assim, passa a comer como se deve, não apenas a forrar o bucho de qualquer jeito.

Outro dia vi uma entrevista com um professor chamado Michael Pollan que escreveu "Food Rules", um tipo de "livro de regras da boa alimentação". Michael dá as dicas com um texto muito divertido - e itens incríveis como "Não coma nada que a sua vó não chamaria de comida" ou "Só compre industrializados cujo rótulo traga palavras que uma criança pequena saberia pronunciar". Lá pelas tantas, Pollan também diz "aprenda a cozinhar". Óbvio. Quem mete a mão na massa, literalmente, passa a ver a comida de modo diferente.

E só o processo de aprender a cozinhar já pode ser uma aventura deliciosa. Pode acontecer com aulas da sua amada mãe ou, até melhor, da sua vó. Pode acontecer por tentativa-e-erro usando livros especializados. Pode acontecer até mesmo em um desses cursos de culinária de fim de semana (tenho uma dica boa para paulistanos, passo para quem me pedir). O importante é se lançar sem medo e com otimismo. O resultado com certeza será bom - e então será possível dizer alto "eu sei cozinhar". Apesar de isso ser evidente.

9 comentários:

mihuda disse...

Ha, adorei e quero a dica! De fato, qualquer um sabe cozinhar e acho que finalmente a cozinha vem ganhando o espaço que merece em toda casa. Antes era coisa só de Da. de casa que não "fazia mais nada". Esse preconceito vem morrendo e aos poucos as pessoas vem sem medo entrando nesse lugar mágico. Não me chamo de chef ou cozinheira de mão cheia, afinal a família tem tantos bons exemplos disto. Mas sábado passado fiquei realmente responsável pelo jantar do namorado e mais uma vez além de não reclamar, ele ainda elogiou. yay \o/

Beolina disse...

a carapuça serviu bem direitinho pra mim! quando eu conheci meu noivo, na época ainda namoradinho, ele ia muito na minha casa e eu morria de vergonha de cozinhar, dando a deixa pra ele, cozinheiro prendado, fazer o almoço.
eu também vivia dizendo que não sabia cozinhar e ele dizia o mesmo que você: se não gosta de cozinhar é porque não gosta de comer. eu concordava em parte, já que sempre fui mais chegada na sobremesa do que no prato principal e doce eu sei fazer...
o tempo passou e então eu tomei vergonha na cara e passei a usar da alternativa b)na base da tentativa e do erro. e não precisa nem de livro especializado, o que mais tem hoje na internet é blog especializado em culinária. tem pra todos os tipos, da refeição mais requintada até o arroz branquinho nosso de cada dia. foi assim que eu aprendi e desde então eu tenho ficado mais exigente com a comida...
uma curiosidade sobre o meu "talento" culinário: meu pai é FÃ do meu arroz! sabe, aquele arroz simplinho que você refoga na manteiga com um tantinho de sal e deixa cozinhar? pois é... ele adora! tá bom que não é assim um filé regado ao molho de vinho tinto do sul da frança com alcaparras salpicado com pimenta jalapeña no minuto 23 do cozimento, mas... é o quitute que eu chamo de meu! =P

Nanael Soubaim disse...

Reserve uma fatia de mussarela enrolada em um pedaço mais ou menos fino de presunto. Abra um pão francês e esprema na frigideira quente por cinco ou seis segundos, retite e coloque dentro o queijo recheado, embrulhe em papel toalha e depois em um pano de prato por não mais que dez minutos. Pronto, já sabe cozinhar. Gostei desse Pollan.

Dri_ disse...

Sabe o que eu penso sobre o "não sei"? Penso que ele elimina todas as possibilidades.

Assim, o/a sujeito/a se livra de ir para o fogão, deixando o encargo pra outro, achando que ficou na vantagem.

Mas um dia ele vai perceber a alegria que é ficar tagarelando entre panelas, facas, azeites, tomates, temperos, pia suja... ai, de fome! E vontade de fazer!!!

A Sócia da Light disse...

Paulinha, a dica: tem uma escola de culinária que se chama Escola Wilma Kovesi (www.wkcozinha.com.br) que dá os cursos mais variados, do extremo básico ao extremos inovador. Os chefs são gente maravilhosa e Beth, que hoje comanda a escola fundada pela mãe dela, é preciosa. Assim que me sobrar tempo/dinheiro, eu vou correr lá fazer algum curso, só pela alegria! Quer vir? :-]

B., pelo menos você tem a vergonha na cara. E o arroz, que me deixou aqui curiosa e com água na boca! A-do-ro arroz fresquinho...

Nanael, eu também adorei o M. Pollan. Outra dica que ele dá no livro e eu adorei (e pratico): "Pode comer fast food, desde que preparado por você mesmo". E eu faço um hamburguer maneiro, 100% homemade!

Dri, assino embaixo de olhos fechados. E mais: tudo o que se precisa é o primeiro sucesso. UM prato bem-feito e comemorado, a fluirá naturalmente. ;-]

mihuda disse...

To no site agora e aceito o convite!!! Só encher meu porquinho que tô dentro! :)
Gente de ler o conteúdo dos cursos to ficando com fome de novo... meo deos!

Gabi Petrucci disse...

Aaah, concordo plenamente!
Sempre dou risada quando dizem que não sabem cozinhar.
Eu adoro... e tá na hora de eu tomar vergonha na cara e aprimorar meu talento! :P

Beijos, Flá

Monique disse...

Eu gostaria de aprender a cozinhar. Só preciso de uma cozinha e de tempo. Por enquanto, vou continuar no arroz de saquinho e no frango cozido na água e sal.

Lady Sith disse...

Eu pensava que cozinhar era o maior mistério do universo. Não contribuiu muito a minha primeira tentativa na cozinha ter resultado em um arroz ao mesmo tempo queimado e empapado (não me pergunte como consegui essa façanha). Mas quando veio a necessidade - minha mãe teve que viajar por dois meses e só ficamos eu e meu pai que só sabe fazer arroz - eu consegui me virar direitinho. Hoje digo que gosto de cozinhar e acho uma coisa mágica.