segunda-feira, 1 de março de 2010

A caixa mágica

Tem coisas sobre as quais não adianta brigar muito com os filhos. Não que não valha a pena impor limites - sempre vale -, mas por pura falta de moral mesmo. Eu ser contra assistir muita televisão, por exemplo, é no mínimo bem ridículo.

Renomada telemaníaca que eu sou, não me sinto à vontade pra ficar fazendo grandes discursos à respeito ou mesmo pra arrumar atrito por isso. A Sabrina tem permissão pra assistir TV quase o quando quer - desde que sejam programas adequados à faixa dos cinco anos, claro.

Ela acaba vendo uns quatro desenhos de meia hora pela manhã e mais dois na volta da escola, de noitinha. Jantar terminado e banho tomado, tem ainda uma rodada-bônus com um episódio do "Sítio do Pica-Pau Amarelo", pra tomar o leite e relaxar antes de se lançar na caminha.

Daí entra em cena a sorte da mamãe aqui: Sabrina gosta da televisão, mas larga a dita cuja em 3 segundos se eu oferecer de jogar com ela ou brincar de boneca ou de qualquer outra coisa - até cozinhar comigo ou ajudar a passar aspirador. Acho que isso acontece pelo clássico motivo: criança gosta de TV, mas gosta mais de ação ao vivo. Pelo menos as crianças que nunca são terminantemente proibidas de ver televisão - o que, na minha opinião, cria aquela louca obsessão pelo proibido.

Não tenho respaldo científico sobre isso, mas acho que deve ser assim que acontece. Não criando o culto à TV ou fazendo dela um objeto mágico e liberado apenas em dias ímpares, ela passa a ser mesmo só aquele eletrodoméstico divertido de ver de vez em quando. E o bom é que a criança aprende a fazer uso natural, e não a repetir o comportamente telemaníaco da mãe.

7 comentários:

mihuda disse...

Flá, quando a Sasá tiver uns 10 anos acho que você já vai ter experiências suficientes para lançar um novo livro: "Crianças que Dizem Ni - Como criar um ser humano de maneira saudável!"
Eu compraria na hora.
1º porque minhas idéias e gostos batem com os teus.
2º é sempre bom ouvir as "lições" de alguém mais experiente.
3º porque a Sabrina tá saindo muito melhor que a encomenda (sem ironias)!
Adoooro!

Gabi Petrucci disse...

Eu sou meio chata, comigo mesma, com esse negócio de TV, não gosto.
Mas concordo que é mesmo pior proibir e que tem que haver um limite.
"Crianças que Dizem Ni - Como criar um ser humano de maneira saudável!"
Eu compraria na hora. [2]

Beijos, Flá.

Escola de Musica Caio Ignácio disse...

Flá,
Gostei da idéia das crianças que dizem Ni! =D
Segue este blog, é do meu marido e eu dou um help nos textos e tals. É sobre musicalização, crianças... tem dicas bacanas pra crianças!
Bjs
Fe Lopes - a menina que quer ser escritora e que é sócia da Dri!

Nanael Soubaim disse...

Eu não proibiria, mas desestimularia, principalmente porque eu quase não teria o que conversar a respeito e não compraria porcarias que patrocinam programas infantís. É, talvez fosse um pai que fizesse os outros agradecerem aos céus pelos seus.

A Sócia da Light disse...

Olha que eu faço o livro e depois vocês terão que aguentar a minha arrogância, hein? Vontade não falta (de escrever, nao de ser arrogante).:-D

Fê! A Dri te falou que estão trocando o professor de música na escola da Sabrina? Diz pro Caio se informar lá!! Acho que ele seria ótimo!! Depois, se quiser, te passo o telefone.

Nanael, fióte... não culpe a TV. Mania que o povo tem de dizer que a TV é veneno - quando são eles que não apresentam seus valores. Sasá assiste TV e nunca pediu um item sequer. Além disso, é aquilo: quem é mantido longe, acaba tomando gosto. Eu tenho uma amiga cuja mãe "desestimulou" muito comer maionese. Quando moramos juntas, ela comia de colherada, direto do pote... Mamãe cheia de marra não estava olhando, né? ;-]

Nanael Soubaim disse...

Meu desestímulo não seria assim, simplesmente eu não tenho o que conversar sobre programas de tevê e sempre faço questão de acompanhar de perto os meus tutelados, quanto mais um filho. Se ele me perguntasse porque não assisto à televisão, eu responderia. Quando aos babaquaras que culpam a televisão por tudo, se não a tivessem eles culpariam a falta de televisão por tudo.

Clá disse...

no quesito educação de crianças sou fã da frase "faça o que eu digo e nao faça o que eu faço" pensa em tudo o que tu passou, castigos que levou pra chegar onde esta hoje...eas crias vao ter que passar pelo mesmo!! sempre digo pra afilhados e alunos...eu ja passei por tudo isso e tenho o direito de poder, vocês ainda tem muito o que viver antes de cobrar qqer coisa de mim hehehehehe