sexta-feira, 12 de março de 2010

Em São Paulo, 869 graus

Quando me perguntam se eu gosto de frio ou de calor, costumo responder o que parece óbvio: nenhum dos dois. Quer dizer: eu não gosto de "passar calor" ou de "passar frio". Gosto de 23 graus em ponto, vamos colocar assim. Porque qualquer coisa fora disso é um martírio físico e uma zoada na rotina na cidade grande, convenhamos.

Na praia, o termômetro pode bater nos 30 pontinhos que eu tolero (sob as ondas). No frio, com um cobertor nas pernas e um fondue na frente, eu nem ligo pros 12 graus. Mas fora desses contextos específicos, com as tarefas do dia, temperaturas extremas me incomodam demais. Esses dias de calor desumano, por exemplo...

Passo o dia esbaforida, suando, maldizendo o sol e reclamando feito uma velha amarga. Abro todas as janelas, pro ar circular... mas cadê o vento? Nem uma mísera folha da árvore se mexe.

Lá pelas 17h, quando enfim parece que vai ficar mais fresco, a coisa só piora. Porque o esquadrão dos pernilongos entra em campo se houver qualquer fresta aberta, o que me obriga a selar a casa. E eu odeio profundamente casa selada.

Para poder deixar a fresta e não morrer sufocada, é preciso instalar os repelentes nas tomadas - o que traz um leve cheiro de repelente de tomada consigo, o que eu também detesto e, neuroticamente, me faz pensar se não estou envenenando a família aos poucos.

Enfim, a essa altura a casa já está um bafo mesmo e nem o ventilador resolve. Um banho, o terceiro do dia, talvez resolvesse - mas a porcaria do chuveiro a gás só tem duas gradações: gelado-polar ou quente-vulcânico.

Em geral, entrego os pontos e fico com a primeira opção. Porque prefiro tiritar com o jato de água fria do que sair do box já suando novamente. Pensando bem, quando me perguntarem de novo se prefiro frio ou calor, acho que posso responder "frio". Pelo menos até o próximo inverno, quando começarei a maldizer os dias gelados. E sonhar com os inatingíveis 23 graus.

8 comentários:

mihuda disse...

Pois me encontro na mesma situação. Sou friorenta, mas meu sistema não aguenta neste calor. Sou daquelas garotas que sofrem com retenção de liquido, então papum me vejo como a Senhorita Puff do Bob Esponja.
A janela fica aberta durante o dia pois meu quarto vira um forno e a noite devorada por pernilongos. Uso inseticida de tomada e sinto que uma fungada daquilo é câncer de pulmão na certa. [morro de medo que esta minha preocupação seja psicossomática.] Não sei se suo que nem um porquinho ou me coço como se tivesse rolado no pó de mico, pois além do zumbido deles me irritar, sou terrivelmente alérgica a pernilongos. Oh vida, Oh azar!
Minha salvação: velas de citronela! Pena que não acho por aqui!

Gabi Petrucci disse...

Eu nunca sei o que responder, pra mim, seria a mesma coisa que perguntarem: "que roupa vai vestir aamanhã?". Não adianta, eu não sei, tudo SEMPRE depende do meu humor.
Para os dias de tédio, combinado com filme de Sessão da Tarde é bem melhor o frio, mas pra um dia de felicidade combinada com empolgação o sol casa perfeitamente.
Algumas pessoas dizem que sou estranha por pensar assim...

Beijo, Flá!

Monique disse...

Eu tive dores de cabeça com inseticida de tomada. Aí tive que desistir deles e só fechar a casa mesmo. Até uma das tontas que mora comigo resolver abrir. ¬¬

Mas Flá, em dias de calor a água fria aí não esquenta, não? Sempre todo banho frio quando tá calorão porque a água fica na temperatura certinha. É só não deixar pra tomar banho meia noite (cof, como tenho feito).

Nanael Soubaim disse...

Em Goiânia, com calor, a água nunca está menos que morna. Flávia, estamos ambos ficando mais rabugentos do que nossas parcas idades podem suportar. melhor pegar um Dodge Polara e sair para refrescar.

Paula Baltazar disse...

Eu sempre sei o que responder: prefiro o frio.
Meu organismo não suporta o calor, é um verdadeiro martírio... o tempo abafado me faz passar muito mal, acordo com o corpo ruim todos os dias e tenho fortes dores de cabeça sempre que preciso caminhar sob sol forte. Já no inverno, nem gripe eu pego. Durmo bem, acordo bem (na medida do possível, já que acordo às 6h), não vejo nem a cor dos remédios para dor de cabeça...

Cristiane disse...

Eu ia escrever alguma coisa, mas é só colocar "idem" pra resposta da Paula.
Mesmo quando o inverno chega, eu não maldigo, e sim, agradeço os dias gelados.

A Sócia da Light disse...

Vou dizer que o meu organismo também se rebela um pouco com o calor, como o das meninas acima. Mas acho que, como a Gabi, também sou capaz de tolerar em situações ímpares, dependendo do meu humor. Por exemplo: em Natal, sol e brisa, férias... calor, vem ni mim!
:-D

M-ly disse...

Eu prefiro o frio. E confesso que adoraria que o clima do Brasil fosse o oposto: frio ao invés de calor.
Até porque aqui só existem 2 tipos de estação: Verão e Inferno (sim, com F). xD